Linhares, ES - 18/08/2017

Christiane Pelajo fala sobre novo telejornal

Buscando se aproximar dos jovens, a Globo News reforça seu papel de canal 24 horas ao vivo em cima da informação com o novo jornal de Christianne Pelajo que estreia no dia 29 de fevereiro a partir das 16h.

Nesta terça-feira (16), aconteceu na sede da Globo, o lançamento do telejornal. Christianne Pelajo que deixou a bancada do "Jornal da Globo”, após mais de 10 anos a frente do noticiário revelou que pretende atrair o telespectador mais jovem com o "ao vivo”, e que com um noticiário "dinâmico”, além do fato dos repórteres serem bastante jovens.

"Queremos o público mais perto da gente, ao vivo. Não teremos bancada, isso vai aproximar mais o público. Adorei o projeto porque sou viciada no ao vivo”, diz Pelajo, que revela: "Eu fico arrepiada no ao vivo, sempre!”

A jornalista ainda contou que também irá para as ruas no novo noticiário. "Eu sou originalmente repórter de rua, esta na minha veia. Na estreia teremos matérias minhas. Sempre que puder vou para a rua para estar próxima da notícia”.

Durante a coletiva, em que esteve presente Eugênia Moreyra, diretora da Globo News, Pelajo ainda prometeu um telejornal "quente”. "A Globo News cresceu como canal. Eu volto ao canal muito mais madura. A boa filha a casa torna. "O jornal será quente, ao vivo”, comentou ela. O noticiário deve abordar bolsa de valores e tudo o que está acontecendo”.

O novo telejornal vai procurar receber pessoas no estúdio, especialistas, trocar histórias e terá uma coluna que será uma espécie de checagem de dados. Duas vezes por semana, uma colunista estará ao lado de Chris com o objetivo de depurar tudo aquilo que ouvimos para checar os dados que realmente interessam aos brasileiros. Será um filtro para ajudar as pessoas a tomarem decisões.

Pelajo estreia em um momento em que a Globo News cresceu oito posições entre 230 canais de 2014 a 2015. A emissora também passou a ter telejornais se posicionando com 1 hora e meia de duração e teve aumento de 38% de audiência em 2015 em relação a 2014.